Saltar para o conteúdo principal da página

Princípios de arquitetura 13. Controlo da diversidade tecnológica

09.11.2022

Declaração

O que se pretende?

A diversidade tecnológica deve ser controlada para minimizar custos significativos relacionados com a manutenção de conhecimento e interoperabilidade entre as várias soluções.

Deve haver um foco no menor número de tecnologias/plataformas tecnológicas possíveis para dar resposta às necessidades de negócios e reduzir os riscos.

Fundamentação

Quais os benefícios?

Há um custo real e significativo relacionado com a infraestrutura necessária para suportar as tecnologias dos sistemas em produção. Há ainda outros custos de infraestrutura para manter a arquitetura de sistemas partilhados. A limitação do número de componentes e fornecedores simplifica e reduz os custos de manutenção e de gestão. Um número menor de fornecedores tecnológicos e de tecnologias representa maior facilidade e menores custos de integração.

As vantagens de uma menor diversidade tecnológica incluem:

  • Encapsulamento de componentes padrão;
  • Impacto de implementação previsível;
  • Testes definidos;
  • Maior flexibilidade para acomodar avanços tecnológicos.

A eventualidade da utilização de uma tecnologia em comum em toda a Administração Pública geraria economias de escala para a mesma.

Conseguimos um maior controlo da gestão tecnológica e dos custos de suporte quando os recursos limitados focam exclusivamente nesse conjunto de tecnologias partilhadas.

Implicações

Quais os requisitos?

As políticas, normas e procedimentos que regulam a aquisição de tecnologia ou a contratação de novos fornecedores tecnológicos devem estar diretamente ligados a este princípio.

As decisões sobre tecnologia são orientadas pela arquitetura tecnológica. É necessário desenvolver e implementar procedimentos para selecionar o conjunto de tecnologias aceitáveis para responder a requisitos mais evoluídos/emergentes.

Este princípio não tem por objetivo impedir a evolução das tecnologias. Os avanços tecnológicos são bem-vindos e, incorporados no modelo tecnológico quando são compatíveis com as infraestruturas atuais. 

A robustez da arquitetura empresarial da Administração Pública é fundamental para a qualidade dos serviços públicos digitais e todo este trabalho deve ser norteado por princípios claro e inequívocos.

Ver todos os princípios